3 de junho – Lucien Lee Kinsolving

lucien_lee_kinsolving

3 de junho:
LUCIEN LEE KINSOLVING

(1º Bispo residente da IEAB)

Nasceu em 14 de maio de 1826 no Estado de Virginia, Estados Unidos. Descendente dos Kinsolving e dos Lee, entre cujos antepassados dois assinaram a Declaração de Independência dos Estados Unidos. Estudou no Colégio Episcopal de Virginia ingressando depois na Universidade. Em 1886 matriculou-se no Seminário Teológico de Virginia revelando-se como grande orador sacro. Consideravam-no um prodígio da eloqüência. Levado pelo fervor missionário, depois de ordenado com Morris, partiram ambos para o Brasil. Depois de seis meses estudando português em São Paulo, com Morria, partiu para Porto Alegre chegando a 21 de abril de 1890. Na inauguração da “Casa da Missão” em 12 de junho de 1890, ele fez a parte litúrgica e Morris pregou. Em 7 de junho de 1891 voltou aos Estados Unidos para unir-se em santo matrimônio com Alice Brown, natural do Estado de Nova Jersey. Dona Alice teve papel destacado na Igreja Brasileira ao lado de seu esposo, principalmente na organização da Sociedade Auxiliadora, baluarte poderoso da Igreja por  todo o mundo. A Federação Nacional da SAE, foi criada também por ela, na 7ª Convocação reunida em Santa Maria em outubro de 1905. Sua diretoria, porém, foi eleita depois na Trindade, em  Porto Alegre.O jovem par de regresso dos Estados Unidos_passou a residir em Rio Grande_e Kinsolving assumiu a direção da paróquia do Salvador, então, a maior de nossas congregações em virtude do acréscimo do grupo Presbiteriano do rev. Menezes. Por isso foi ali organizada a primeira Junta Paroquial composta pelos Senhores Antonio Gazineu, Ángelo Catalani e Jacinto  Santana. Como a nova missão no Brasil estava sob a supervisão do Bispo de Virginia e atendendo apelo que daqui se fazia, o Bispo Dom Peterkin resolveu visitar o Brasil. Pela primeira vez na história da Igreja no Brasil, chega ao porto da cidade do Rio Grande em 23 de agosto de 1893, um Bispo Episcopal em visita oficial. Na Missão do Salvador deu-se então a primeira confirmação no Brasil. Trinta pessoas se confirmaram e houve a primeira ordenação ao Diaconato na pessoa do catequista Vicente Brande, auxiliar do pároco. Ainda no mês de agosto, o Bispo visitou a Missão do Redentor, em Pelotas, cujo pároco Rev. Dr. Meem apresentou-lhe 26 pessoas para serem confirmadas e foi ordenado ao Diaconato o catequista Antonio Machado de Fraga, auxiliar do pároco.Em 12 de setembro, o Bispo, já em Porto Alegre, visitou a Missão da Trindade na rua Riachuelo, cujo pároco, Rev. Dr. Brown, apresentou-lhe 22 pessoas para confirmação e ordenou ao Diaconato o catequista Américo Vespúcio Cabral, auxiliar do Dr. Brown na Missão.Em seguida o Bispo visitou a “Casa da Missão” à rua Voluntários da Pátria, a cargo do Rev. Dr. Morris que lhe apresentou 14 pessoas para confirmação. Foram então a Santa Rita do Rio dos Sinos, cuja Missão estava a cargo do Rev. Morris, e o Bispo confirmou 44 pessoas e ordenou ao Diaconato o catequista Boaventura do Oliveira, auxiliar do Rev. Morris. De volta, o Bispo com o Rev. Kinsolving  foran a São Jose do Norte, cuja Missão estava a cargo também do Rev. Kinsolving, e confirmaram 6 pessoas.Ao todo foram confirmadas 128 pessoas e ordenados 4 moços ao Diaconato. A visita do Bispo infelizmente foi muito prejudicada pela revolução Federalista que na época ensanguentava o nosso Estado. Em maio de 1897, a convite da Igreja Americana, o Bispo Sterling, Anglicano com sede em Buenos Aires, visitou a Igreja no Brasil confirmando 156 pessoas e elevando ao Presbiterado os Diáconos Brande, Cabral e Fraga. No concilio de 1907, reunido na capela do Bom Pastor, foi feito um pedido à  Igreja-Mãe solicitando o Status de Distrito Missionário para a Igreja no Brasil, até então considerada apenas como uma Missão. Só em 1908 a Convenção Geral da Igreja-Mãe concedeu o referido Status.

Bispo KINSOLVING

Sentia-se d necessidade de um guia espiritual e administrativo, afinal a Igreja era Episcopal. Em uma convocação especial reunida na Capela do Bom Pastor em maio de 1898, com a presença de 4 clérigos e 4 leigos, representando todos as congregações, foi eleito Lucien Lee Kinsolving como Bispo para a Igreja no Brasil. Remetido o resultado a Igreja-Mãe, a Câmara dos Bispos através de eleição ratificou a escolha feita em Porto Alegre. E, no dia 6 de janeiro de 1899 -Epifania – na Igreja de São Bartolomeu em Nova York, foi solenemente sagrado Lucien Lee Kinsolving primeiro Bispo da Igreja Episcopal do Brasil. Voltando ele para o Brasil, no dia 13 de agosto de 1899 administrou pela primeira vez o rito da confirmação na Igreja do Salvador em Rio Grande. Nessa ocasião passou a direçao da paróquia a seu substituto Rev. Dr. Brown.
O episcopado de Kinsolving foi muito benéfico para a Igreja no Brasil. Houve um crescimento geral, abriram-se novas missões, construiram novos templos, criaran-se instituições paroquiais. Kinsolving foi um verdadeiro apóstolo e pastor de almas. Estatura robusta, simpático, de palavra fácil e fluente, era um perfeito gentleman, fino na apresentação e no trato nas solenidades de escol, como também usava bombacha e bota e convivia como igual com os homens do campo ou da lavoura. Seguia o exemplo de São Paulo (I Cor. 9:19-23) fazia-se tudo para com todos.
O Governador do Rio Grande, Dr. Borges de Medeiros, apreciava muito suas visitas e lhe dava passe livre nas Estradas de Ferro do Estado. Foi sempre amigo de seu clero a ponto de declarar-lhes em uma reunião:- “Trago-vos a todos dentro do meu coração. E não só, mas também os vossos ministérios, as vossas famílias, os vossos problemas, tudo pesa_aqui,” pondo a mão sobre o coração. Em 1910, por ocasião da famosa Conferência de Lambeth em Londres, que reúne todos os Bispos da Comunhão Anglicana, Kinsolving compareceu e foi convidado a pregar na Catedral de São Paulo, um dos maiores templos religiosos do mundo. Em outubro de 1926 seguiu para os Estados Unidos em férias, não voltando mais ao Brasil. Foi aposentado em 1928 por motivo de saúde depois de 29 anos de profícuo e abençoado episcopado.
A 18 de dezembro de 1929 faleceu. No dizer do poeta John Miltom: “Deus deu-lhe o beijo individual da imortalidade”.
O povo Episcopal do Brasil reconhecido e agradecido ao seu grande líder, mandou erigir uma herma de bronze em sua homenagem na frente da Igreja do Salvador em Rio Grande, Igreja que ele construiu.

Obs. Dados biográficos retirados do livro DADOS BIOGRÁFICOS DO CLERO DA IGREJA EPISCOPAL DO BRASIL de autoria do Rev. Marçal Lopes de Oliveira, Editado pelo Depto. de Comunicação da Secretaria Geral da IEAB, 1988