Advento na perspectiva Anglicana

coroa2bdo2badvento

ADVENTO
O termo “Advento” significa “chegada”, anúncio da vinda de uma pessoa ou de um evento importante, como a chegada de um rei numa cidade ou de uma divindade a uma cidade ou a seu templo,  e como quadra  foi surgindo entre os séculos IV ao VI, como o tempo preparatório à celebração do mistério da Encarnação do Filho de Deus. Seu caráter de “espera expectante” se desenvolve a dois níveis: o fático, como lembrança do nascimento de Jesus,  e o escatológico, da vinda em glória do Senhor, ao fim dos tempos.Daí as exortações, durante os quatro domingos, ao cultivo de atividades evangélicas importantes, como a vigilância, a oração, a esperança e a  conversão, chamando a todos os cristãos a preparar os caminhos para o Senhor que vêm. Formalmente o Advento se estende ao longo das quatro semanas prévias ao Natal, começando no Domingo mais próximo à festa de Santo André, que é no dia 30/11, e marca também o início do Ano Cristão.Durante vários séculos o Advento teve um forte acento penitencial  e preparatório, expresso pela cor litúrgica (roxo/lilás), restrições ao uso de música e flores e alguns dias de jejum e abstinência. Esse caráter era aliviado no terceiro domingo, chamado de “Alegrai-vos” (Gaudete, em latim), pelas primeiras palavras da oração introdutória da Eucaristía desse dia.Na metade do Advento, há uns dias especialmente consagrados a dar graças a Deus e  que desde muito antigo são aproveitados para as Ordenações ao Ministério: são as Têmporas. Também, desde os tempos das reformas litúrgicas do Arcebispo de Cantuária, Thomas Cranmer,  o segundo domingo é dedicado a dar graças a Deus pelas Santas Escrituras, pelo qual esse dia é para nós, anglicanos, o Dia da Bíblia.   

O conteúdo das leituras evangélicas dominicais nos três anos do Lecionário Dominical segue um mesmo tema específico para cada domingo:
– Vigilância na espera de Cristo (1º Domingo);
– Exortação à conversão (2º Domingo);
– Testemunho de Jesus por parte de João Batista (3º Domingo);
– E anúncio do nascimento de Jesus (4º Domingo).

 É tradição em muitas comunidades, preparar uma “Coroa de Advento”, adornada com flores e cinco velas. Cada uma delas é acesa em cada domingo da quadra e a última na festa do Natal, simbolizando assim que Jesus é a luz do mundo que vence as trevas do mal. Cada uma das quatro velas acesas aos domingos desse tempo está unida a uma personagem bíblica do Antigo e  do Novo Testamento, vinculados à figura de Jesus:
– O profeta Isaías,
– O anjo Gabriel,
– João Batista
– E a Virgem Maria, a mãe do Senhor.

  Fonte: O Pão da Vida, Comentários ao Lecionário Anglicano, Ano A, 2007, pág. 373, 374 – Revdo. Enrique Illarze, liturgista