oda035 Sexta

oda035 Sexta-feira, 3 de janeiro de 2020 : Salmo 72; Gênesis 28: 10-22; Hebreus 11: 13-22

Salmos Litúrgicos Livro II Décimo Quarto Dia: Oração Matutina
Salmo 72 Deus, judicium
Ó DEUS, concede ao Rei teus juízos; * e ao filho do Rei tua justiça.
2 Que ele governe com retidão teu povo, * com eqüidade as tuas pessoas pobres.
3 Os montes simbolizem paz para o povo; * e as colinas retidão.
4 Julgue dentre o povo quem vive na aflição, salve as pessoas necessitadas * e quebrante o opressorquem oprime.
5 Temam-te enquanto o sol existir, * enquanto durar a luz, por todas as gerações.
6 Seja como chuva que desce sobre o prado, * como chuveiros que regam a terra.
7 Floresçam em seus dias oas pessoas justas * e dá abundância de paz até que não haja mais lua.
8 Domine de mar a mar, * desde o rio até os confins da terra.
9 Os que habitam no deserto na sua frente se inclinarão, * e seus inimigos lamberão o pó.
10 Paguem tributo os reis de Társis e das ilhas; * ofereçam donativos os reis de Seba e de Sabá.
11 Curvem-se perante ele todos os reis, * sirvam-no as nações todas.
12 Porquanto livrará ele o desvalido que clama, * o que sofre e o que não tem quem o ajude.
13 Condoer-se-á das pessoas fracas e das necessitadas, * e das indigentes salvará a alma.
14 Remirá suas almas da opressão e da violência, * e precioso será seu sangue aos olhos dele.
15 Vivam eles, pois, e lhe dêem do ouro de Sabá, * roguem por ele incessantemente; bendigam-no durante o dia todo.
16 Haja na terra grande cópia de trigo até sobre os montes; ondule o seu fruto como o do Líbano; * e da cidade se multiplique a gente como erva.
17 Subsista seu nome para sempre: enquanto o sol brilhar, se perpetue seu Nome; * nele sejam abençoadas todas as nações e o proclamem bem-aventurado.
18 Bendito seja o SENHOR DEUS, o DEUS de Israel, * que só ele faz maravilhas.
19 Seja também bendito seu glorioso Nome para sempre; * cheia seja toda a terra de sua glória. Amém e Amém.


Gênesis 28: 10-22
10Jacó partiu de Berseba e foi para Harã.
11Chegando a determinado lugar, parou para pernoitar, porque o sol já se havia posto. To­mando uma das pedras dali, usou-a como traves­seiro ­e deitou-se.
12E teve um sonho no qual viu uma escada apoiada na terra; o seu topo alcan­çava os céus, e os anjos de Deus subiam e des­ciam por ela.
13Ao lado dele estava o Senhor, que lhe disse: “Eu sou o Senhor, o Deus de seu pai Abraão e o Deus de Isaque. Darei a você e a seus descendentes a terra na qual você está deitado.
14Seus descendentes serão como o pó da terra, e se espalharão para o Oeste e para o Leste, para o Norte e para o Sul. Todos os po­vos da terra serão abençoados por meio de você e da sua descen­dência.
15Estou com você e cui­darei de você, aonde quer que vá; e eu o trarei de volta a esta terra. Não o deixarei enquanto não fizer o que lhe prometi”.
16Quando Jacó acordou do sono, disse: “Sem dúvida o ­Senhor está neste lugar, mas eu não sabia!”
17Teve medo e disse: “Temível é este lugar! Não é outro, senão a casa de Deus; esta é a porta dos céus”.
18Na manhã seguinte, Jacó pegou a pedra que tinha usado como travesseiro, colocou-a em pé como coluna e derramou óleo sobre o seu topo.
19E deu o nome de Betel àque­le lugar, embora a cidade anteriormente se chamasse Luz.
20Então Jacó fez um voto, dizendo: “Se Deus estiver comigo, cuidar de mim nesta via­gem que estou fazendo, prover-me de comida e roupa,
21e levar-me de volta em segurança à casa de meu pai, então o ­Senhor será o meu Deus.
22E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo”.


Hebreus 11: 13-22
13Todos esses viveram pela fé e morreram sem receber o que tinha sido prometido; viram-no de longe e de longe o saudaram, reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
14Os que assim falam mostram que estão buscando uma pátria.
15Se estivessem pensando naquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar.
16Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles e lhes preparou uma cidade.
17Pela fé Abraão, quando Deus o pôs à prova, ofereceu Isaque como sacrifício. Aquele que havia recebido as promessas estava a ponto de sacrificar o seu único filho,
18embora Deus lhe tivesse dito: “Por meio de Isaque a sua descendência será considerada”.
19Abraão levou em conta que Deus pode ressuscitar os mortos e, figuradamente, recebeu Isaque de volta dentre os mortos.
20Pela fé Isaque abençoou Jacó e Esaú com respeito ao futuro deles.
21Pela fé Jacó, à beira da morte, abençoou cada um dos filhos de José e adorou a Deus, apoiado na extremidade do seu bordão.
22Pela fé José, no fim da vida, fez menção ao êxodo dos israelitas do Egito e deu instruções acerca dos seus próprios ossos.