ODC211 Quarta

ODC211 Quarta-feira: Salmo 64; Ezequiel 32:1-10; Lucas 9:37-43a OU Salmo 59; 2 Reis 9:30-37; Lucas 9:37-43a

Salmos Litúrgicos Livro II Duodécimo Dia: Oração Matutina
64 Exaudi, Deus
OUVE, ó Deus, a minha súplica, *
e guarda a minha vida do temor de quem é contra mim.
2 Esconde-me do conselho de quem faz maldade, * e do ajuntamento de gente injusta.
3 Quem afia, como espada, a sua lingua,* e suas amargas palavras são como fechas,
4 Para atirar às escondidas contra quem é inocente; * para causar-lhe ferimentos sem temor e de surpresa.
5 Firmam-se em más intenções, * armando laços secretamente.
6 Planejam maldades; * o seu pensamento e o seu coração é um abismo.
7 Mas Deus repreenderá essas pessoas, * e eles ficarão feridas.
8 Assim serão levadas a tropeçar, * tendo contra si a própria língua.
9 E todas as pessoas hão de temer e confessar a obra de Deus, * reconhecendo os seus feitos.
10 A pessoa justa se alegrará no SENHOR e confiará nele, * e quem tem o coração reto se gloriará.


Ezequiel 32:1-10
Lamentação sobre Faraó
1 No primeiro dia do décimo segundo mês do décimo segundo ano, esta palavra do Senhor veio a mim:
2 “Filho do homem, entoe um lamento a respeito do faraó, rei do Egito, e diga-lhe:
“Você é como um leão entre as nações,
como um monstro nos mares,
contorcendo-se em seus riachos,
agitando e enlameando
as suas águas com os pés.
3 “Assim diz o Soberano, o Senhor:
“Com uma imensa multidão de povos
lançarei sobre você
a minha rede,
e com ela eles o puxarão para cima.
4 Atirarei você na terra
e o lançarei no campo.
Deixarei que todas as aves do céu
se abriguem em você
e os animais de toda a terra
o devorarão até fartar-se.
5 Estenderei a sua carne sobre os montes
e encherei os vales com os seus restos.
6 Encharcarei a terra com o seu sangue
por todo o caminho, até os montes,
e os vales ficarão cheios
da sua carne.
7 Quando eu o extinguir,
cobrirei o céu e escurecerei
as suas estrelas;
cobrirei o sol com uma nuvem,
e a lua não dará a sua luz.
8 Todas as estrelas que brilham nos céus,
escurecerei sobre você
e trarei escuridão sobre a sua terra.
Palavra do Soberano, o Senhor.
9 Perturbarei os corações
de muitos povos
quando eu provocar a sua destruição
entre as nações,
em terras que você não conheceu.
10 Farei que muitos povos
espantem-se ao vê-lo,
e que os seus reis fiquem arrepiados
de horror por sua causa,
quando eu brandir a minha espada
diante deles.
No dia da sua queda todos eles
tremerão de medo
sem parar, por suas vidas.

Lucas 9:37-43a
A cura do rapaz com um espírito mau
37 No dia seguinte, quando desceram do monte, uma grande multidão veio ao encontro dele.
38 Um homem da multidão bradou: “Mestre, rogo-te que dês atenção ao meu filho, pois é o único que tenho.
39 Um espírito o domina; de repente ele grita, lança-o em convulsões e o faz espumar; quase nunca o abandona e o está destruindo.
40 Roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”.
41 Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los? Traga-me aqui o seu filho”.
42 Quando o menino vinha vindo, o demônio o lançou por terra, em convulsão. Mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou de volta a seu pai.
43a E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus.


OU


Salmos Litúrgicos Livro II Undécimo Dia: Oração Vespertina
Salmo 59 Eripe me de inimicis
LIVRA-ME de quem me quer mal, DEUS meu, * defende-me dequem se levanta contra mim.
2 Livra-me de gente perversa * e salva-me de pessoas sanguinárias.
3 Pois eis que armam ciladas contra a minha vida, ajuntando-se contra mim; * e não por pecado ou transgressão minha, ó SENHOR.
4 Estou sem culpa, mas correm e se preparam; * apressa-te a ajudar-me.
5 O SENHOR das Celestes hostes punirá as nações; * e quem pratica a maldade receberá castigo.
6 Voltam à tarde, * e, uivando, rodeiam a cidade.
7 Espadas estão nos seus lábios, * pois dizem: quem ouvirá?
8 Mas tu, SENHOR, dessa gente rirás; * zombarás de quem se vangloria.
9 Em ti, força minha, esperarei; * pois Deus é meu alto refúgio.
10 O Deus, que vem em meu socorro, vai adiante de mim; * dar-me-á força para enfrentar quem é contra mim.
11 Não mates esta gente, * pelo contrário, meu povo lhes esquecerá.
12 Pelos seus pecados e vãs palavras, vivem a escravidão do orgulho; * também pelas maldições e mentiras que proferem.
13 Que a maldade seja consumida por sua indignação, * e saibam que Deus reina até os confins da terra.
14 Que eles tornem a vir à tarde, * e, uivando, cerquem a cidade.
15 Andarão vagueando em busca de alimento, * e assim passarão a noite toda.
16 Mas eu cantarei o teu poder; celebrarei desde o amanhecer a tua bondade; * pois tens sido para mim alto refúgio no dia de minha angústia.
17 A ti, fortaleza minha, cantarei louvores; * porque Deus é o meu amparo e o Deus que me favorece.

2 Reis 9:30-37
A morte de Jezabel
30 Em seguida Jeú entrou em Jezreel. Ao saber disso, Jezabel pintou os olhos, arrumou o cabelo e ficou olhando de uma janela do palácio.
31 Quando Jeú passou pelo portão, ela gritou: “Como vai, Zinri, assassino do seu senhor?”
32 Ele ergueu os olhos para a janela e gritou: “Quem de vocês está do meu lado?” Dois ou três oficiais olharam para ele.
33 Então Jeú ordenou: “Joguem essa mulher para baixo!” Eles a jogaram e o sangue dela espirrou na parede e nos cavalos, e Jeú a atropelou.
34 Jeú entrou, comeu, bebeu e ordenou: “Peguem aquela maldita e sepultem-na; afinal era filha de rei”.
35 Mas, quando foram sepultá-la, só encontraram o crânio, os pés e as mãos.
36 Então voltaram e contaram isso a Jeú, que disse: “Cumpriu-se a palavra do Senhor anunciada por meio do seu servo Elias, o tesbita: Num terreno em Jezreel cães devorarão a carne de Jezabel,
37 os seus restos mortais serão espalhados num terreno em Jezreel, como esterco no campo, de modo que ninguém será capaz de dizer: ‘Esta é Jezabel’ “.


Lucas 9:37-43a
A cura do rapaz com um espírito mau
37 No dia seguinte, quando desceram do monte, uma grande multidão veio ao encontro dele.
38 Um homem da multidão bradou: “Mestre, rogo-te que dês atenção ao meu filho, pois é o único que tenho.
39 Um espírito o domina; de repente ele grita, lança-o em convulsões e o faz espumar; quase nunca o abandona e o está destruindo.
40 Roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”.
41 Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los? Traga-me aqui o seu filho”.
42 Quando o menino vinha vindo, o demônio o lançou por terra, em convulsão. Mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou de volta a seu pai.
43a E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus.