Odc238 Sábado

Odc238 Sábado, 27 de julho de 2019: Salmo 138; Ester 4:1-17; Lucas 8:22-25 OU Salmo 85; Oséias 1:11-2:15; Lucas 8:22-25

Salmos Litúrgicos – Livro V – 28º Dia: Oração Vespertina
Salmo 138 Confitebor tibi
EU TE louvarei, SENHOR, de todo o meu coração; * na tua presença, ó Deus, cantarei louvores.
2 Adorarei voltado para o teu santo templo e louvarei o teu Nome pela tua bondade e pela tua verdade; * pois magnificaste a tua palavra sobre toda manifestação de teu Nome.
3 No dia em que clamei, tu me respondeste; *com coragem fortaleceste a minha alma.
4 Todos os reis da terra te louvarão, ó SENHOR, *porque eles ouviram as palavras de tua boca.
5 E celebrarão, cantando, os caminhos do SENHOR, *pois grande é a glória do SENHOR.
6 Porque ainda que o SENHOR seja excelso, lança, contudo, os olhos para as pessoas humildes; * e de longe conhece as pessoas orgulhosas.
7 Embora eu ande no meio da tribulação, tu me reanimas; *estendes tua mão contra a ira de quem me quer mal, e teu poder me salva.
8 O SENHOR aperfeiçoará o que me tem designado; tua misericórdia, ó SENHOR, subsiste para sempre; *não desampares as obras de tuas mãos.


Ester 4:1-17
1 Quando Mardoqueu soube de tudo o que tinha acontecido, rasgou as vestes, vestiu-se de pano de saco, cobriu-se de cinza, e saiu pela cidade, chorando amargamente em alta voz.
2 Foi até a porta do palácio real, mas não entrou, porque ninguém vestido de pano de saco tinha permis­são de entrar.
3 Em cada província onde chegou o decreto com a ordem do rei, houve grande pranto entre os judeus, com jejum, choro e lamento. Muitos se deitavam em pano de saco e em cinza.
4 Quando as criadas de Ester e os oficiais responsáveis pelo harém lhe contaram o que se passava com Mardoqueu, ela ficou muito aflita e mandou-lhe roupas para que as vestisse e tirasse o pano de saco; mas ele não quis aceitá-las.
5 Então Ester convocou Hatá, um dos oficiais do rei, nomeado para ajudá-la, e deu-lhe ordens para descobrir o que estava perturbando Mardoqueu e por que ele estava agindo assim.
6 Hatá foi falar com Mardoqueu na praça da cidade, em frente da porta do palácio real.
7 Mar­doqueu contou-lhe tudo o que lhe tinha aconte­cido e quanta prata Hamã tinha prometido depositar na tesouraria real para a destruição dos judeus.
8 Deu-lhe também uma cópia do decreto que falava do extermínio e que tinha sido anunciado em Susã, para que ele o mostrasse a Ester e insistisse com ela para que fosse à pre­sença do rei implorar misericórdia e interceder em favor do seu povo.
9 Hatá retornou e relatou a Ester tudo o que Mardoqueu lhe tinha dito.
10 Então ela o instruiu que dissesse o seguinte a Mardoqueu:
11 “Todos os oficiais do rei e o povo das províncias do império sabem que existe somente uma lei para qualquer homem ou mulher que se aproxime do rei no pátio interno sem por ele ser chamado: será morto, a não ser que o rei estenda o cetro de ouro para a pessoa e lhe poupe a vida. E eu não sou chamada à presença do rei há mais de trinta dias”.
12 Quando Mardoqueu recebeu a resposta de Ester,
13 mandou dizer-lhe: “Não pense que pelo fato de estar no palácio do rei, você será a única entre os judeus que escapará,
14 pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família do seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha?”
15 Então Ester mandou esta resposta a Mardoqueu:
16 “Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei”.
17 Mardoqueu retirou-se e cumpriu todas as instruções de Ester.


Lucas 8:22-25
22 Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado do lago”. Eles entraram num barco e partiram.
23 Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo.
24 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Mestre, Mestre, vamos morrer!”
25 Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou tranquilo.
“Onde está a sua fé?”, perguntou ele aos seus discípulos.
Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: “Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem?”


OU


Salmos Litúrgicos Livro III Décimo Sexto Dia: Oração Vespertina
Salmo 85 Benedixisti, Domine
SENHOR, tu tens sido bondoso para com tua terra; * tu libertastes do cativeiro de Jacó.
2 Perdoaste a maldade de teu povo, *encobriste todo o seu pecado.
3 Fizeste cessar a tua indignação, *desviaste o ardor da tua cólera.
4 Restaura-nos, ó Deus da nossa salvação, *e retira de sobre nós tua ira.
5 Acaso estarás entristecido conosco para sempre? *Estenderás tua ira contra todas as gerações?
6 Porventura não tornarás a vivificar-nos, *para que teu povo se alegre em ti?
7 Mostra-nos, SENHOR, a tua misericórdia, *e concede-nos a tua salvação.
8 Ouvirei o que o SENHOR nosso Deus disser; *porque ele falará paz ao seu povo e a quem vive sua santidade, para que não caiam de novo na insensatez.
9 Certamente sua salvação está próxima a quem lhe teme; *que sua glória habite em nossa terra!
10 A misericórdia e a verdade encontraram-se; *a justiça e a paz se beijaram.
11 A verdade brotará da terra; * e lá dos céus olhará a justiça.
12 Sim, o SENHOR dará o que é bom; *e a terra produzirá seus frutos.
13 A justiça irá à sua frente ; *e com seus passos abrirá caminho.


Oséias 1:11-2:15
11 O povo de Judá e o povo de Israel serão reunidos, e eles designarão para si um só líder e se levantarão da terra, pois será grande o dia de Jezreel.
Oséias 2:1-15
1 “Chamem a seus irmãos ‘meu povo’, e a suas irmãs ‘minhas amadas’.
2 “Repreendam sua mãe,
repreendam-na,
pois ela não é minha mulher,
e eu não sou seu marido.
Que ela retire do rosto o sinal de adúltera
e do meio dos seios a infidelidade.
3 Do contrário, eu a deixarei nua
como no dia em que nasceu;
farei dela um deserto,
uma terra ressequida,
e a matarei de sede.
4 Não tratarei com amor os seus filhos,
porque são filhos de adultério.
5 A mãe deles foi infiel,
engravidou deles
e está coberta de vergonha.
Pois ela disse:
‘Irei atrás dos meus amantes,
que me dão comida, água,
lã, linho, azeite e bebida’.
6 Por isso bloquearei o seu caminho
com espinheiros;
eu a cercarei de tal modo
que ela não poderá encontrar
o seu caminho.
7 Ela correrá atrás dos seus amantes,
mas não os alcançará;
procurará por eles,
mas não os encontrará.
Então ela dirá:
‘Voltarei a estar com o meu marido
como no início,
pois eu estava bem melhor
do que agora’.
8 Ela não reconheceu que fui eu
quem lhe deu o trigo,
o vinho e o azeite,
quem a cobriu de ouro e de prata,
que depois usaram para Baal.
9 “Por isso levarei o meu trigo
quando ele amadurecer,
e o meu vinho quando ficar pronto.
Arrancarei dela minha lã e meu linho,
que serviam para cobrir a sua nudez.
10 Pois agora vou expor a sua lascívia
diante dos olhos dos seus amantes;
ninguém a livrará das minhas mãos.
11 Acabarei com a sua alegria:
suas festas anuais,
suas luas novas,
seus dias de sábado
e todas as suas festas fixas.
12 Arruinarei suas videiras
e suas figueiras,
que, segundo ela, foram pagamento
recebido de seus amantes;
farei delas um matagal,
e os animais selvagens as devorarão.
13 Eu a castigarei pelos dias
em que queimou incenso
aos baalins;
ela se enfeitou com anéis e joias
e foi atrás dos seus amantes,
mas de mim, ela se esqueceu”,
declara o Senhor.
14 “Portanto, agora vou atraí-la;
vou levá-la para o deserto
e falar-lhe com carinho.
15 Ali devolverei a ela as suas vinhas
e farei do vale de Acor
uma porta de esperança.
Ali ela me responderá
como nos dias de sua infância,
como no dia em que saiu do Egito.


Lucas 8:22-25
22 Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado do lago”. Eles entraram num barco e partiram.
23 Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo.
24 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Mestre, Mestre, vamos morrer!”
25 Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou tranquilo.
“Onde está a sua fé?”, perguntou ele aos seus discípulos.
Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: “Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem?”