Odc327 Sexta

Odc327 Sexta-feira, 8 de novembro de 2019 : Salmo 145: 1-5, 17-21; Zacarias 6: 9-15; Atos 24: 10-23 OU Salmo 17: 1-9; Gênesis 38: 1-26; Atos 24: 10-23

Salmos Litúrgicos Livro V Trigésimo Dia: Oração Matutina
Salmo 145: 1-5, 17-21 Exaltado te, Deus
TE EXALTAREI, ó Deus, Rei meu, * e bendirei o teu Nome por todo o sempre.
2 Todos os dias te bendirei, * e louvarei teu Nome por todo o sempre.
3 Excelso é o SENHOR e mui digno de louvor, * e sua grandeza é insondável.
4 Uma geração a outra louvará as tuas obras, * e manifestará teus feitos poderosos.
5 Quanto a mim, falarei do glorioso esplendor de tua majestade, * e de tuas maravilhosas obras eu cantarei.
17 Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, * e santo em todas as suas obras.
18 Perto está o SENHOR de todas as pessoas que o invocam, * de todas as que o invocam em verdade.
19 Ele satisfaz os anseios de quem o teme, * ouve o seu clamor e lhes salva.
20 O SENHOR vela sobre todas as pessoas que o amam, * mas todas as que praticam injustiça sofrerão desolação.
21 Que meus lábios profiram louvores ao SENHOR, * e bendiga toda carne seu Nome Santo para sempre.


Zacarias 6: 9-15
9 E o Senhor me ordenou:
10 “Tome prata e ouro dos exilados Heldai, Tobias e Jedaías, que chegaram da Babilônia. No mesmo dia, vá à casa de Josias, filho de Sofonias.
11 Pegue a prata e o ouro, faça uma coroa, e coloque-a na cabeça do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque.
12 Diga-lhe que assim diz o Se­nhor dos Exércitos: Aqui está o homem cujo nome é Renovo, e ele sairá do seu lugar e construirá o templo do Senhor.
13 Ele constru­irá o templo do Senhor, será revestido de majestade e se assentará em seu trono para governar. Ele será sacerdote no trono. E haverá harmonia entre os dois.
14 A coroa será para Heldai, Tobias, Jedaías e Hem, filho de Sofonias, como um memorial no templo do Senhor.
15 Gente de longe virá ajudar a cons­truir o templo do Senhor. Então vocês sabe­rão que o Senhor dos Exércitos me enviou a vocês. Isso só acontecerá se obedecerem fielmente à voz do Senhor, o seu Deus”.


Atos 24: 10-23
10 Quando o governador lhe deu sinal para que falasse, Paulo declarou: “Sei que há muitos anos tens sido juiz nesta nação; por isso, de bom grado faço minha defesa.
11 Facilmente poderás verificar que há menos de doze dias subi a Jerusalém para adorar a Deus.
12 Meus acusadores não me encontraram discutindo com ninguém no templo, nem incitando uma multidão nas sinagogas ou em qualquer outro lugar da cidade.
13 Tampouco podem provar-te as acusações que agora estão levantando contra mim.
14 Confesso-te, porém, que adoro o Deus dos nossos antepassados como seguidor do Caminho, a que chamam seita. Creio em tudo o que concorda com a Lei e no que está escrito nos Profetas
15 e tenho em Deus a mesma esperança desses homens: de que haverá ressurreição tanto de justos como de injustos.
16 Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens.
17 “Depois de estar ausente por vários anos, vim a Jerusalém para trazer esmolas ao meu povo e apresentar ofertas.
18 Enquanto fazia isso, já cerimonialmente puro, encontraram-me no templo, sem envolver-me em nenhum ajuntamento ou tumulto.
19 Mas há alguns judeus da província da Ásia que deveriam estar aqui diante de ti e apresentar acusações, se é que têm algo contra mim.
20 Ou os que aqui se acham deveriam declarar que crime encontraram em mim quando fui levado perante o Sinédrio,
21 a não ser que tenha sido este: quando me apresentei a eles, bradei: Por causa da ressurreição dos mortos estou sendo julgado hoje diante de vocês”.
22 Então Félix, que tinha bom conhecimento do Caminho, adiou a causa e disse: “Quando chegar o comandante Lísias, decidirei o caso de vocês”.
23 E ordenou ao centurião que mantivesse Paulo sob custódia, mas que lhe desse certa liberdade e permitisse que os seus amigos o servissem.


OU


Salmos Litúrgicos Livro 1 Terceiro Dia: Oração Matutina
Salmo 17: 1-9 Exaudi, Domine
ESCUTA, ó SENHOR, o que é justo, e considera o meu clamor; * ouve minha súplica, não proferida por lábios enganosos.
2 Parta de ti minha sentença; * vejam teus olhos a retidão.
3 Sondaste meu coração; * de minha boca nada sai que leve à fraude.
4 Segundo a palavra de teus lábios, * tu me tens guardado do caminho da violência.
5 Firma os meus passos em teu caminho, * para que meus pés não vacilem.
6 Eu te invoco, ó Deus! * Inclina para mim teus ouvidos e escuta a minha voz.
7 Faz maravilhosas as tuas bondades, * ó tu que salvas quem em ti se refugia.
8 Preserva-me como a menina dos olhos, * oculta-me sob a sombra de tuas asas,
9 Por causa de pessoas pecadoras, que me oprimem; * de pessoas inimigas de minha alma que cercam.


Gênesis 38: 1-26
1 Por essa época, Judá deixou seus ir­mãos e passou a viver na casa de um homem de Adulão, chamado Hira.
2 Ali Judá encontrou a filha de um cananeu cha­mado Suá e casou-se com ela. Ele a possuiu,
3 ela engravidou e deu à luz um filho, ao qual ele deu o nome de Er.
4 Tor­nou a engravidar, teve um filho e deu-lhe o nome de Onã.
5 Quando estava em Quezibe, ela teve ainda outro filho e chamou-o Selá.
6 Judá escolheu uma mulher chamada Ta­mar para Er, seu filho mais velho.
7 Mas o Senhor reprovou a conduta perversa de Er, filho mais velho de Judá, e por isso o matou.
8 Então Judá disse a Onã: “Case-se com a mulher do seu irmão, cumpra as suas obri­gações de cunhado para com ela e dê uma descen­dência a seu ir­mão”.
9 Mas Onã sabia que a descendên­cia não seria sua; assim, toda vez que possuía a mulher do seu irmão, derramava o sêmen no chão para evitar que seu irmão tivesse descen­dência.
10 O Senhor reprovou o que ele fazia, e por isso o matou também.
11 Disse então Judá à sua nora Tamar: “More como viúva na casa de seu pai até que o meu filho Selá cresça”, porque temia que ele viesse a morrer, como os seus irmãos. Assim Tamar foi morar na casa do pai.
12 Tempos depois morreu a mulher de Judá, filha de Suá. Passado o luto, Judá foi ver os tosquiadores do seu rebanho em Timna com o seu amigo Hira, o adulamita.
13 Quando foi dito a Tamar: “Seu sogro está a caminho de Timna para tosquiar suas ove­lhas”,
14 ela trocou suas roupas de viúva, cobriu-se com um véu para se disfarçar e foi sentar-se à entrada de Enaim, que fica no caminho de Tim­na. Ela fez isso porque viu que, embora Selá já fosse crescido, ela não lhe tinha sido dada em casamento.
15 Quando a viu, Judá pensou que fosse uma pros­tituta, porque ela havia encoberto o rosto.
16 Não sabendo que era a sua nora, dirigiu-se a ela, à beira da estrada, e disse: “Venha cá, quero deitar-me com você”.
17 Ela lhe perguntou: “O que você me dará para deitar-se comigo?”
Disse ele: “Eu lhe man­darei um cabritinho do meu rebanho”.
E ela perguntou: “Você me deixará algu­ma coisa como garantia até que o mande?”
18 Disse Judá: “Que garantia devo dar-lhe?”
Respondeu ela: “O seu selo com o cordão, e o cajado que você tem na mão”. Ele os entre­gou e a possuiu, e Tamar engravidou dele.
19 Ela se foi, tirou o véu e tornou a vestir as roupas de viúva.
20 Judá mandou o cabritinho por meio de seu amigo adulamita, a fim de reaver da mulher sua garantia, mas ele não a encon­trou,
21 e per­guntou aos homens do lugar: “Onde está a pros­tituta cultual que costuma ficar à beira do cami­nho de Enaim?”
Eles responderam: “Aqui não há nenhuma prostituta cultual”.
22 Assim ele voltou a Judá e disse: “Não a encontrei. Além disso, os homens do lugar dis­seram que lá não há nenhuma prostituta cul­tual”.
23 Disse Judá: “Fique ela com o que lhe dei. Não quero que nos tornemos objeto de zomba­ria. Afinal de contas, mandei a ela este cabriti­nho, mas você não a encontrou”.
24 Cerca de três meses mais tarde, disseram a Judá: “Sua nora Tamar prostituiu-se, e na sua prostituição ficou grávida”.
Disse Judá: “Tragam-na para fora e queimem-na viva!”
25 Quando ela estava sendo levada para fora, mandou o seguinte recado ao sogro: “Es­tou grávida do homem que é dono destas coi­sas”. E acrescentou: “Veja se o senhor reconhe­ce a quem pertencem este selo, este cordão e este cajado”.
26 Judá os reconheceu e disse: “Ela é mais justa do que eu, pois eu devia tê-la entregue a meu filho Selá”. E não voltou a ter relações com ela.


Atos 24: 10-23
10 Quando o governador lhe deu sinal para que falasse, Paulo declarou: “Sei que há muitos anos tens sido juiz nesta nação; por isso, de bom grado faço minha defesa.
11 Facilmente poderás verificar que há menos de doze dias subi a Jerusalém para adorar a Deus.
12 Meus acusadores não me encontraram discutindo com ninguém no templo, nem incitando uma multidão nas sinagogas ou em qualquer outro lugar da cidade.
13 Tampouco podem provar-te as acusações que agora estão levantando contra mim.
14 Confesso-te, porém, que adoro o Deus dos nossos antepassados como seguidor do Caminho, a que chamam seita. Creio em tudo o que concorda com a Lei e no que está escrito nos Profetas
15 e tenho em Deus a mesma esperança desses homens: de que haverá ressurreição tanto de justos como de injustos.
16 Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens.
17 “Depois de estar ausente por vários anos, vim a Jerusalém para trazer esmolas ao meu povo e apresentar ofertas.
18 Enquanto fazia isso, já cerimonialmente puro, encontraram-me no templo, sem envolver-me em nenhum ajuntamento ou tumulto.
19 Mas há alguns judeus da província da Ásia que deveriam estar aqui diante de ti e apresentar acusações, se é que têm algo contra mim.
20 Ou os que aqui se acham deveriam declarar que crime encontraram em mim quando fui levado perante o Sinédrio,
21 a não ser que tenha sido este: quando me apresentei a eles, bradei: Por causa da ressurreição dos mortos estou sendo julgado hoje diante de vocês”.
22 Então Félix, que tinha bom conhecimento do Caminho, adiou a causa e disse: “Quando chegar o comandante Lísias, decidirei o caso de vocês”.
23 E ordenou ao centurião que mantivesse Paulo sob custódia, mas que lhe desse certa liberdade e permitisse que os seus amigos o servissem.