Category: Santos de dezembro

02 de dezembro – Channing Moore

nov 30 2009

channing-moore02 de dezembro –  CHANNING MOORE WILLIAMS – MISSIONÁRIO NA CHINA E NO JAPÃO

Channing Moore Williams nasceu em Richmond, Virgínia, em 1829, e foi ordenado em 1855. A igreja Episcopal enviou-o à China como sacerdote em 1857. Em 1859 foi enviado a Nagasaki, Japão, e em 1866 era o Bispo consagrado da China e do Japão. Em 1868 o Japão abriu-se mara missóes mais a Oeste, motivo para concentrar seus esforços no Japão. Em 1874 (ou 1877) um bispo  (Samuel Isaac Joseph Schereschewski, ver 15 de outubro) foi consagrado para China e Williams foi a Tokyo (chamado então Edo ou Yedo), onde fundou o que é agora a Universidade de São Paulo. Em 1878 ajudou unir esforços da Missão na formação da Nippon Sei Ko Kai, a Santa Igreja Católica no Japão. Em 1889 sua saúde começou a falhar, e pediu para ser assessorado. Em 1893 um sucessor foi apontado, e Williams continuou vivendo em Kyoto e ajudando abrir novos pontos da missão. Retornou à América em 1908 e morreu em 2 de dezembro de 1910.
Por James Kiefer, livre tradução do Revdo. Josafá, 04/11/2006

4 de dezembro – João Damasceno

nov 29 2009

sao-joao-damasceno4 de dezembro – João Damasceno, Presbítero, 760

O último grande nome da patrística grega conhecida da Idade Média é o de João de Damasco, dito João Damasceno (falecido em 749). Sua obra mestra, A fonte do conhecimen­to (Pegé gnôseôs), contém uma introdução filosófica, depois uma breve história das heresias, enfim, numa terceira parte, uma coletânea de textos, tomados de seus predecessores e dispostos em ordem sistemática, sobre as verdades funda­mentais da religião cristã. Essa última parte, traduzida em 1151 por Burgúndio de Pisa (o tradutor de Nemésio), servi­rá de modelo para as Sentenças de Pedro Lombardo. É a obra que encontraremos citada com freqüência no século XIII, sob o título de De fide orthodoxa.

João Damasceno não pretendeu ser um filósofo origi­nal, mas constituir uma coletânea cômoda de noções filosó­ficas úteis ao teólogo, e certas fórmulas que pôs em circula­ção tiveram extraordinário sucesso. Desde o início do De fi­de orthodoxa, ele afirma que não há um só homem em que não esteja naturalmente implantado o conhecimento de que Deus existe. Essa fórmula será citada inúmeras vezes na Idade Média, ora com aprovação, ora para ser criticada.

Leia+

05 de dezembro – Clemente de Alexandria, Presbítero, 210

nov 28 2009

clemente de alexandria5 de dezembro- Clemente de Alexandria, Presbítero, 210

a)  Tito Flávio Clemente, nome de Clemente de Alexandria (150 – 215), escritor grego, teólogo e mitógrafo cristão nascido em Atenas, pesquisador das lendas menos compatíveis com os valores cristãos, defensor da rebelião contra a opressão, que levou ao conceito de guerra justa, considerado o fundador da escola de teologia de Alexandria.

Combateu também o racismo, que via como base moral da escravidão. De pais pagãos, convertido ao cristianismo por seu mestre patrístico Panteno (século II), abraçou a nova fé e sucedeu-lhe como líder espiritual da comunidade cristã de Alexandria, onde permaneceu durante vinte anos, tornando-se um dos mais inteligentes e ilustrados dos padres primitivos. Entre suas obras de ética, teologia e comentários bíblicos destaca-se a trilogia formada por Exortação, Pedagogo e Miscelâneas. Do período de formação da patrística e pré-nissênico com nomes da escola cristã de Alexandria, combateu os hereges gnósticos.

Embora ele tenha sido instruído profundamente na filosofia neoplatônica, decidiu voltar-se ao cristianismo. Estabeleceu o programa educativo da escola catequética alexandrina, que séculos mais tarde serviria de base ao trivium e ao quadrivium, grupos de disciplinas que constituíam as artes liberais na Idade Média. Defendeu a teoria da causa justa para a rebelião contra o governante que escravizasse seu povo. Em O Discurso escreveu sobre a salvação dos ricos e sobre temas como o bem-estar, a felicidade e a caridade cristã. Durante a perseguição aos cristãos (201) pelo imperador romano Sétimo Severo transferiu seu cargo na escola catequética ao discípulo Orígenes e refugiou-se na Palestina, junto a Alexandre, bispo de Jerusalém, lá permanecendo até sua morte.

Como se vê, Clemente de Alexandria teve um papel importantíssimo na história da interpretação biblica entre os judeus e os cristãos no período patrístico.

Em Alexandria a religião judaica e a filosofia grega se encontraram e se influenciaram mutuamente criando a escola que influenciou a interpretação bíblica. Esta escola influenciada pela filosofia platônica, encontrou um método natural de harmonizar religião e filosofia na interpretação alegórica da Bíblia. Clemente de Alexandria foi o primeiro a aplicar o método alegórico na interpretação do Antigo Testamento. A interpretação bíblica alégorica acreditava que era mais madura do que o interpretação no sentido literal.

Datam do período helenístico as primeiras aproximações do budismo com o mundo ocidental. Mercadores indianos que viviam em Alexandria propagaram sua fé budista pela região. Clemente de Alexandria foi o primeiro autor ocidental a citar em suas obras o nome de Buda.

Inspirados em Orígenes e na Escola de Alexandria, muitos escritores cristãos desenvolveram suas obras: Júlio Africano, Amônio, Dionísio de Alexandria, o Grande, Gregório, o Taumaturgo, Firmiliano, bispo de Cesareia, na Capadócia, Teognostos, Pedro de Alexandria, Pânfilo e Hesíquio.Held

Obras: Exortação aos gentios, O Pedagogo, Seleções (Stromata).

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

b)  São Clemente de Alexandria († 215)

Seu nome é Tito Flávio Clemente, nasceu em Atenas por volta de 150. Viajou pela Itália, Síria, Palestina e fixou-se em Alexandria. Durante a perseguição de Setímio Severo (203), deixou o Egito, indo para a Ásia Menor, onde morreu em 215. Seu grande trabalho foi tentar a aliança do pensamento grego com a fé cristã. Dizia: “Como a lei formou os hebreus, a filosofia formou os gregos para Cristo”

http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/padres_da_igreja/os_santos_padres.htm#São Clemente de Alexandria

 

7 de dezembro – Ambrósio, Bispo de Milão, 397

nov 26 2009

ambrosio-de-milao7 de dezembro – Ambrósio, Bispo de Milão, 397

Ambrósio de Milão (340-397), conhecido como Santo Ambrósio, foi bispo de Milão, e é considerado um dos Doutores da Igreja. Foi ele quem ministrou o baptismo a Agostinho de Hipona.

Ambrósio era, na verdade, gaulês descendente de gregos como se pode inferir de seu nome e do de seu irmão, Urânio Sátiro. Nasceu em Tréveros, onde seu pai exercia alta função na administração do [Império Romano]]. Depois de residir em Roma por muito tempo, onde se encontrava entre as mais ricas e nobres famílias, seu pai foi posto por Constantino à frente da prefeitura da Gália.

Seu pai teria falecido logo após seu nascimento. Sua mãe, então, retornou a Roma com os três filhos: Marcelina, Sátiro e Ambrósio. Em Roma, recebeu a formação dos nobres romanos, estudando gramática, literatura grega e romana, retórica e direito. Não lhe faltaram ainda a frequência ao circo e ao teatro. Ao lado dessa formação, recebeu, também, educação religiosa, destinada aos catecúmenos, ministrada pelo sacerdote Simpliciano, futuro sucessor de Ambrósio na sede de Milão. A influência deste sacerdote sobre Ambrósio foi tão marcante que santo Agostinho o chamava de “pai do bispo Ambrósio, segundo a graça”.

Leia+

14 de dezembro – João da Cruz, Monge, 1591

nov 25 2009

sao-joao-da-cruzSão João da Cruz, Monge, 1591

Nascimento: 24 de Junho de 1542 em Fontiveros, Ávila, Espanha
Falecimento: 14 de Dezembro de 1591 em Úbeda, Jaén, Espanha
Venerado pela Igreja Católica, Igreja Anglicana e Igreja Luterana
Canonizado 27 de Dezembro de 1726 por: Papa Bento XIII
Festa litúrgica: 14 de Dezembro
Padroeiro: Teologia Mística
 
Biografia
São João da Cruz nasceu em 1542, provavelmente no dia 24 de Junho, em Fontiveros, província da cidade de Ávila, em Espanha. Os seus pais chamavam-se Gonzalo de Yepes e Catalina Alvarez. Gonzalo pertencia a uma família de posses da cidade de Toledo. Por ter-se casado com uma jovem de classe “inferior”, foi deserdado por seus pais e tornou-se tecelão de seda. Em 1548, a família muda-se para Arévalo. Em 1551 transfere-se para Medina del Campo, onde o futuro reformador do Carmelo estuda numa escola destinada a crianças pobres. Por suas aptidões, torna-se empregado do diretor do Hospital de Medina del Campo. Entre 1559 a 1563 estuda Humanidades com os Jesuítas. Ingressou na Ordem do Carmo aos vinte e um anos de idade, em 1563, quando recebe o nome de Frei João de São Matias, em Medina del Campo. Pensa em tornar-se irmão leigo, mas seus superiores não o permitiram. Entre 1564 e 1568 faz sua profissão religiosa e estuda em Salamanca. Tendo concluído com êxito seus estudos teológicos, em 1567 ordena-se sacerdote e celebra sua Primeira Missa.

Leia+