Category: Santos mês 12

29 de dezembro – Thomas Becket – Arcebispo de Cantuária e Mártir, 1170

nov 02 2009

thomas-becket29 de dezembro – Thomas Becket – Arcebispo de Cantuária e Mártir, 1170

a) São Thomas Becket (c. 1115 – 29 de Dezembro de 1170), foi Arcebispo de Cantuária de 1162 a 1170. Por se tratar de um jovem com educação, entrou para o serviço de Teobaldo, arcebispo de Cantuária, que lhe recompensou o seu trabalho com o arquidiaconado de Cantuária. Em 1155 Becket foi escolhido por Henrique II de Inglaterra para conselheiro real, uma posição que manteve durante sete anos, como íntimo e leal servidor do rei.

Henrique recompensou Becket fazendo-o arcebispo de Cantuária, após a morte de Teobaldo. O carácter de Becket modificou-se imediatamente, passou a viver uma vida de simplicidade e pobreza e, apesar de ter ajudado Henrique a diminuir o poder dos bispos, passou a defender ativamente os direitos da Igreja. Seguiram-se violentas questões com Henrique e um longo período de exílio. Depois de se reconciliarem, entraram em conflito novamente, até que Henrique perguntou se não haveria ninguém capaz de o livrar «daquele padre turbulento».

Leia+

31 de dezembro – John Wycliff, Precursor da Reforma e Mártir

nov 01 2009

john-wycliff31 de dezembro – John Wycliff – Precursor da Reforma, 1384

Professor de Oxford, Reformador e 1° tradutor da Bíblia para o inglês

Biografia:
Nascido de sangue saxônico, perto da Vila de Wycliff, em Yorkshire, John Wycliff tornou-se o principal porta voz dos patriotas ingleses, através do período de emancipação política do seu país. Sua escalada a um lugar de erudita eminência foi rápida. Brilhando em Oxford, ele foi nomeado capelão do rei em 1366, enquanto recebia o seu doutorado, em 1374. Contudo, bem depressa voltou suas armas intelectuais contra Roma, conforme Schaff declara:

Em sermões, folhetos e escritos mais extensos, Wycliff apresentou a Escritura e o senso comum como testemunhas. Sua pregação era tão cortante como a “Espada de Damocles”. Ele nunca hesitava em usar a ironia e a invectiva, nas quais era mestre; a objetividade e a pertinência de seus apelos traziam tudo facilmente à compreensão da mente popular.

Em sua condenação do abuso doutrinário, Wycliff condenava a complacência dos últimos reformadores contra os prelados imorais, excesso de posses territoriais, extorsão religiosa, e heresias tais como o purgatório, a transubstanciação, o sacerdócio e a confissão auricular. Poucos eram poupados da “Espada de Damocles”.

Leia+