Category: Santos mês 6

02 de junho – James Watson Morris

jun 28 2012

james_morris

02 de junho:
James Watson Morris

O Seminário de Virginia nos Estados Unidos foi sempre um foco irradiador do espírito missionário da Igreja Episcopal americana. Desde 1830 surgiram missionários enviados em nome de Cristo e sua Igreja para o Japão, China, Ásia e África.
Dentro do próprio Seminário, entre os próprios estudantes havia un núcleo da Aliança Missionária de Seminários, do qual era presidente o estudante James Watsom Morris. Nas imediações do Seminário, residia uma família onde parava uma filha do Rev. Simonton, pioneiro da Igreja Presbiteriana no Brasil. Através dessa moça, que conhecia o Brasil, os estudantes vieram a saber muita coisa sobre nossa Pátria e ficaram entusiasmados. Morris, que pretendia ser missionário no Oriente, mudou de idéia, optando pelo Brasil. Aproximando-se o tempo de sua ordenação, foi a Nova York decidir com a direção da Igreja sua vinda ao Brasil. A Sociedade Missionária, porém, só enviaria dois, a exemplo do que fez Jesus com a missão dos 70 (Lucas 10).
Enquanto Morris lá se angustiava pelo impasse da falta de um companheiro, por divina providência, este aparece na pessoa de seu colega Lucien Lee Kinsolving, que do Seminário telegrafara para a chefia da Igreja, dizendo: “Enviai-me com Morris. Kinsolving”.

Depois de fracassadas as tentativas de Martyn em 1805, de Cooper em 1853 e de Holden em 1859, vê-se Morris realmente ser o pioneiro da Igreja no Brasil. Desde o início ele manteve sua decisão, enfrentando dificuldades, mas sempre disposto a ir até o fim e fazer triunfar o seu ideal, como de fato aconteceu.
Finalmente, Morris e Kinsolving foram ordenados ao diaconato em 29 de junho_de 1889 na Capela do Seminário. Por terem de partir em missão, por concessão especial, foram elevados ao presbiterado em 4 de agosto de 1889. No dia 31 desse mês, embarcaram para o Brasil no vapor Aliança, aqui chegando em 26 de setembro. Seguiram direto para São Paulo e dali para Cruzeiro, pequena cidade do interior paulista. Durante seis meses permaneceram em Cruzeiro estudando português com o Rev. Benedito Ferraz, da Igreja Presbiteriana.

Leia+

3 de junho – Lucien Lee Kinsolving

jun 27 2012

lucien_lee_kinsolving

3 de junho:
LUCIEN LEE KINSOLVING

(1º Bispo residente da IEAB)

Nasceu em 14 de maio de 1826 no Estado de Virginia, Estados Unidos. Descendente dos Kinsolving e dos Lee, entre cujos antepassados dois assinaram a Declaração de Independência dos Estados Unidos. Estudou no Colégio Episcopal de Virginia ingressando depois na Universidade. Em 1886 matriculou-se no Seminário Teológico de Virginia revelando-se como grande orador sacro. Consideravam-no um prodígio da eloqüência. Levado pelo fervor missionário, depois de ordenado com Morris, partiram ambos para o Brasil. Depois de seis meses estudando português em São Paulo, com Morria, partiu para Porto Alegre chegando a 21 de abril de 1890. Na inauguração da “Casa da Missão” em 12 de junho de 1890, ele fez a parte litúrgica e Morris pregou. Em 7 de junho de 1891 voltou aos Estados Unidos para unir-se em santo matrimônio com Alice Brown, natural do Estado de Nova Jersey. Dona Alice teve papel destacado na Igreja Brasileira ao lado de seu esposo, principalmente na organização da Sociedade Auxiliadora, baluarte poderoso da Igreja por  todo o mundo. A Federação Nacional da SAE, foi criada também por ela, na 7ª Convocação reunida em Santa Maria em outubro de 1905. Sua diretoria, porém, foi eleita depois na Trindade, em  Porto Alegre.O jovem par de regresso dos Estados Unidos_passou a residir em Rio Grande_e Kinsolving assumiu a direção da paróquia do Salvador, então, a maior de nossas congregações em virtude do acréscimo do grupo Presbiteriano do rev. Menezes.

Leia+

4 de junho – William Cabell Brown

jun 26 2012

willian cabell brown

4 de junho:
WILLIAM CABELL BROWN

A notícia de que a Igreja no Brasil estava sendo bem aceita e apresentando progressos despertou o desejo de outros virem ajudar Morris e Kinsolving. Entre os que estavam terminando o curso no Seminário de Virginia, dois se decidiram pelo Brasil: William Cabell Brown e John Gaw Meem. Já ordenados ao diaconato e também ao Presbiterado, embarcaram chegando ao Brasil em 20 de outubro de 1891. Acompanhava-os, também, a Prof Miss Mary Packard, filha do Reitor do Seminário de Virgínia. Brown, antes de partir, contraiu matrimônio com Ida Dorsey. Além do curso no Seminário, Brown fez também curso de Direito na Universidade de Virgínia. Logo após ter chegado ao Brasil foi nomeado Pároco da Igreja do Salvador em Rio Grande. Em 1893 Brown e Morris criaram o Estandarte Cristão. Desde o começo da Igreja no Brasil usavam-se na liturgia apenas porções do Livro de Oração Comum traduzidas e adaptadas. Quando o Rev. Ricardo Holden, em 1859, tentou introduzir a Igreja Episcopal no Brasil, tendo estado no Pará e depois em Salvador na Bahia, traduziu o L.0.C. para o português, porém, não resistindo às perseguições, transferiu-se para Portugal.

Leia+

5 de junho – John Gaw Meen

jun 25 2012

john gaw meem

5 de junho – JOHN GAW MEEM

Nasceu em 2 de agosto de 1864, em Lousiana, filho de John Gaw Meem e de Nancy Meem. Em 1884 completou o curso da Academia Militar de Virginia, atingindo o posto de Capitão, sendo nomeado professor assistente na mesma Academia. Continuando seus estudos formou-se em Engenharia Civil. Descobrindo sua vocação religiosa, matriculou-se no Seminário de Virginia em 1889, onde foi considerado aluno exemplar. Atendendo ao apelo missionário de Morris e Kinsolving para trabalhar no Brasil, apresentou-se como voluntário. Já conhecia algo sobre o Brasil, pois seu pai foi um dos engenheiros construtores da estrada de ferro Rio – São Paulo. Em companhia de William Brown, foi ordenado em diácono na Capela do Seminário em 28 de junho de 1891, e a 2 de agosto do mesmo ano foram elevados ao presbiterado. Em setembro de 1891, em companhia_de Brown e esposa, partiram para o Brasil. Com eles veio também a diaconisa Mary Packard.  Chegando ao Brasil, foi encarregado de abrir uma Missão da Igreja na cidade de Pelotas, auxiliado pelo catequista Fraga. E o fez em outubro de 1892. Enquanto ocupavam uma sala como Capela, ele confeccionou uma planta e supervisionou a construção em 1909 do bonito templo de nossa Igreja do Redentor, no Centro da cidade de Pelotas, RS. O Rev. Dr. Meem contraiu núpcias em Pelotas com a brasileira Srta. Elza Krischke, neta do cônsul americano em Rio Grande. Em Pelotas, o Rev. Dr. Meem foi também prof. da Escola de Agronomia.

Leia+

6 de junho – Américo Vespúcio Cabral

jun 24 2012

americo_vespucio

6 de junho – AMÉRICO VESPUCIO CABRAL

Nasceu na Vila Santa Isabel, município de Arroio Grande, a 27 de maio de 1870. Filho do Prof: João Francisco de Freitas Cabral e da Dona Floriana da Costa Cabral. Em 1871 mudaram-se para Porto Alegre. Cursou o Colégio São Pedro. Em 1887 foi obrigado a abandonar os estudos para trabalhar no comércio. Aos 17 anos de idade era um entusiasta dos ideais republicanos, usando seus dotes tribunícios nos comícios. Conhecendo sua capacidade como orador, um amigo da família o convidou para, como companheiro de seu filho, fazerem o Curso de Direito na Bahia, com as despesas pagas. Nessa altura, porém, já havia falecido seu pai que antes confiara a ele o cuidado de sua mãe e de uma irmã menor. Diante disso ele não aceitou o convite.

Em 1890, Cabral com um amigo passaram, num domingo, pela “Casa da Missão”, na rua Voluntários da Pátria. Ouvindo o cântico de um hino resolveram entrar. Era um oficio religioso dirigido pelos missionários Morris e Kinsolving. Sairam impressionados com o que viram e ouviram. No domingo seguinte lá estava de novo Cabral assistindo ao oficio. Daquele dia em diante, convidava os amigos dizendo: “Venham ouvir o que e belo e bom”. Abraçou definitivamente o Evangelho pela Igreja Episcopal, tornando-se catequista. Em 1893 foi ordenado ao diaconato pelo Bispo Peterkin que visitava a Igreja no Brasil. Dizia ele que na solenidade cantaram o hino 136 do antigo “Salmos e Hinos” e nas palavras: “Vai! Publica a todo o mundo: em Jesus há salvação!” Kinsolving lhe dirigiu um olhar cheio de entusiasmo.

Leia+