Category: Santos mês 05

16 de maio – MARGARET DE CORTONA

abr 28 2020

(Companheira Devocional , 231)

MARGARET DE CORTONA (1297),16 de maio, 3ªOrdem

   Margaret era uma mulher bonita, amante de um nobre jovem durante nove anos, com quem teve um bebê. Por estes anos ela tinha dúvidas sobre a sua situação, mas, como Santo Agostinho, ela orava por pureza – “mas não agora”. Um dia, ela encontrou seu amante assassinado e o crime a levou a uma vida de penitência; ela se tornou terciária em 1277. Alguns duvidaram da sinceridade do seu arrependimento. Apesar do ceticismo e da calúnia, ela fundou um hospital, se preocupou com os doentes e converteu muitos pelas suas orações e conselhos.

Coleta: Deus de clemência dá-nos a graça de que verdadeiramente possamos nos arrepender de nossos pecados seguindo o exemplo de tua criada, Margaret de Cortona, e que, por uma fé viva, possamos obter perdão completo; pelos méritos de Jesus Cristo nosso Deus. Amém.

9 de Maio – CATARINA DE BOLONHA

abr 28 2020

(Companheira Devocional , 229) 

9 de maio – CATARINA DE BOLONHA (1463) 

Ordens Segunda e Terceira

            Enquanto criança, Catarina de Bolonha era dama de honra numa corte real. Com 14 anos, ela se juntou a um grupo de terciários franciscanos que depois se tornaram Clarissas Pobres. Em 1456, ela voltou ao local de seu nascimento como abadessa de um novo convento. Desde jovem, Catarina estava sujeita a visões. Ela também foi efetiva diretora de noviças e superiora e tinha talento para caligrafia e pintura em miniaturas.

Coleta: Concede, ó Deus que nós, teus servos, possamos ser ajudados pelo exemplo de Santa Catarina que pelo doce odor das suas virtudes, possamos jubilosos ser atraídos ao teu santuário. Por Cristo nosso Senhor. Amém.

30 de maio – Joana D’Arc

maio 29 2019

a) JOANA D’ARC (1431), 30 de Maio        (Companheira Devocional , 231 e 232)

Protetora da Ordem Terceira da França,

     Joana d’ Arc, a “Donzela de Orleans”, foi chamada a capitanear os exércitos franceses durante a Guerra dos Cem Anos contra a Inglaterra. Sua coragem, suas visões e as vozes angelicais que a aconselhavam, junto com a traição pela qual ela foi entregue aos ingleses que a condenaram ao fogo, tem capturado a imaginação até dos escritores mais céticos (Bernard Shaw em Santa Joana e Mark Twain em A História de Joana d’ Arc). Joana foi membro da Ordem Terceira que deixou uma vida calma como filha de um camponês e pastora para fazer a vontade de Deus.

Coleta: Ó Deus que maravilhosamente escolheu a bem-aventurada Joana para a proteção da sua fé e sua pátria: Concede que por tua graça, o exemplo dela possa permitir que tua Igreja supere todos os ardis dos seus inimigos e se alegre em unidade e concórdia. Por Cristo nosso Senhor. Amém.

 

b) Joana D’Arc

Joana nasceu em 1412, no vilarejo de Domrémy, pertencente ao Ducado de Lorena, na França. Filha de camponeses trabalhadores e honrados, ela viveu ali sua infância, como qualquer outra menina de sua idade. Ocupava-se de trabalhos domésticos e, às vezes, pastoreava rebanhos de ovelhas do pai.

Chamada desde criança

Desde a infância Joana demonstrava uma piedade singular. Sentia-se atraída à contemplação, gostava de subir a lugares elevados para contemplar o panorama. Gostava muito de participar das celebrações na igreja e teve grande interesse em aprender o catecismo e a doutrina católica.

Um anjo guiando nos caminhos de Deus

Aos treze anos Joana começou a ouvir uma voz, que lhe orientava no caminho de Deus. Veja como ela mesma narrou esses fatos com muita simplicidade: “Quando eu tinha mais ou menos 13 anos, ouvi a voz de Deus que veio ajudar-me a me governar. Eu ouvi a voz do lado direito, quando ia para a Igreja. Depois que ouvi esta voz três vezes, percebi que era a voz de um anjo. Ela me ensinou a me conduzir bem e a frequentar a igreja”. Há um detalhe muito importante nessa fala: segundo ela mesma afirma, a voz veio para ajudá-la a governar a si mesma, ou seja, o anjo de Deus ensina a adolescente Joana a ter autodomínio, um fruto do Espírito Santo. Mais tarde ela descobriu que era São Miguel Arcanjo quem falava com ela e que ela deveria partir em socorro do rei da França.

https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-joana-(giovanna)-d’arc/439/102/

01 de maio – SÃO FELIPE E SÃO TIAGO (o Menor), APÓSTOLOS

fev 28 2010

sao felipe-e-sao-tiago-apostolos

São FELIPE

Nome de um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, Mt 10.3, natural de Betsaida do Mar de Galiléia, de onde também o eram André e Pedro. Jesus encontrou-o em Betânia, além do Jordão, onde João batizava, ali foi convertido e chamado por Jesus para ser discípulo. Encontrou a Natanael e levou-o a Jesus, convencido de que, em conversa com o Mestre, se convenceria de que ele era o Messias. A sua confiança não falhou, Jo 1. 43-48. Um ano depois, Jesus o incorporou ao apostolado. Quando nosso Senhor estava a ponto de operar o milagre de multiplicar os pães para os cinco mil, Jesus procurou dar a Felipe uma concepção da magnitude do milagre, perguntando-lhe: “Com que compraremos nós o pão de que estes necessitam para comer?” ,João 6.5,6. No dia da entrada triunfal em Jerusalém, certos gregos desejaram ver a Jesus, e pediram a Filipe que os apresentasse a ele, 12. 20-23. Em suas relações com Cristo, os discípulos estavam em contacto com o Pai, mas quando Jesus disse, quem me vê a mim vê também o Pai, Filipe parece não ter compreendido, e, por isso, replicou: ‘Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta”, 14. 8-12. O seu nome aparece entre os que se achavam reunidos no quarto alto, depois da ressurreição, At 1. 13. É a última noticia autêntica que temos a seu respeito. A tradição fala de sua vida apostólica de um modo mui confuso e contraditório.

Biografia cf Dicionário da Bíblia, John Davis

 barra16

sao-tiago-o-menor

Tiago Menor, de um conjunto de figuras datado de 1850

Tiago, filho de Alfeu e um dos apóstolos de nosso Senhor, Mt 10. 3;  Mc 3. 18; Lc 6. 15; At 1. 13. Nada  mais se diz a seu respeito. É natural supor que o Tiago mencionado em Mt 27. 56; Mc 15. 40; 16. 1; Lc 24. 10, seja este mesmo Tiago, e neste caso, tem ele o sobrenome de Menor”, talvez por ser de  pequena estatura, Mc 15. 40.
Sua mãe chamava-se Maria e foi uma das mulheres que acompanharam  a Cristo. Sabe-se também que era irmão de José, Levi ou Mateus, que segundo Mc 2. 14, era filho de Alfeu, pode bem ser mais um de seus irmãos, e também Judas o apóstolo, entra na irmandade de  Tiago,segundo a tradução de Figueiredo (e que a Versão Brasileira dê como sendo filho dele), segundo Lc 6. 16 e At 1.13.
É possível ainda identificar a Maria, mulher de Clopas, mencionada em Jo 19. 25, com a Maria, mãe de Tiago, e, portanto, irmã de Maria, mãe de Jesus. De acordo com esta combinação, Tiago, filho de Alfeu, deve ser primo-irmão de Jesus. Pode-se ainda tirar outra conclusão, por causa da semelhança de nomes dos irmãos do Senhor com os dos filhos de Alfeu, que este primo-irmão de Jesus é um dos irmãos do Senhor. Todos estes raciocínios não são muito seguros e não encontram base firme nos fatos bíblicos. Há outros personagens bíblicos com o nome de Tiago, lembrados nos dias abaixo:

Tiago Maior, 25 de julho,

Tiago, o Justo, 25 de outubro.

Biografia cf Dicionário da Bíblia, John Davis.

 

2 de maio – Atanásio, Bispo de Alexandria, 373

fev 27 2010

 

atanasio

2 DE MAIO – ATANÁSIO

Chegou o dia em que a Igreja se viu livre da perseguição mortal dos pagãos. Era o ano 313 e o famoso Edito de Milão transformou o cristianismo, de perseguido a favorecido pelos imperadores. Mas a luta não terminou, pois na mesma época a semente da discórdia foi plantada no interior do catolicismo, com a heresia do arianismo. Foi então que a fé extrema e a dedicação na defesa da divindade de Cristo transformaram Santo Atanásio, o bispo de Alexandria, no mais vigoroso combatente dos hereges.

Atanásio nasceu no Egito em 296, filho da cidade da qual seria o bispo mais lembrado. Ainda adolescente foi considerado um dos homens mais inteligentes de Alexandria entre os gênios que ali vivam. Ingressou na Igreja por meio do bispo Alexandre. Na qualidade de seu assessor especial, embora fosse apenas diácono, Atanásio participou do Concílio de Nicéia, em 325, e passou para a história.

Leia+