Category: Santos mês 11

12 de novembro – Carlos Simeon – Presbítero – 1836

nov 22 2009
 

charlessimeon12 de novembro – Carlos Simeon, Presbítero, 1836  
1) 
Há mais de duzentos anos atrás, os estudantes nas universidades inglesas foram instados a freqüentar regularmente a igreja, e receber pelo menos a Santa Comunhão uma vez ao ano. Esta exigência ao longo do tempo ensejou maus efeitos pois incentivou a hipocrisia e pouca reverência ao Sacramento. Entretanto, para o então estudante de Cambridge Charles Simeon, tal medida surtiu um efeito tão bom que escreveu: “Em 29 janeiro 1779 eu vim à faculdade. Em 2 fevereiro compreendendo que deveria realmente receber a Ceia do Senhor, conscientizei-me  de que fosse de boa mente, com arrependimento e voltando-me inteiramente para Deus e não apenas para cumprir uma determinação do Provost. ” Por esta experiência sua vida foi transformada. Ao terminar os estudos foi ordenado e  nomeado capelão do Colégio da Trindade, Cambridge, onde permaneceu por 55 anos, até logo antes de sua morte em 12 de novembro 1836. Seu ministério ajudou transformar as vidas de muitas pessoas, das quais destacamos:
Henry Martyn (ver 19 outubro) que inspirado por Simeon, abandonou sua de vida secular, dedicando-a a pregar o Evangelho na Índia e na Pérsia;  e William Wilberforce (20 julho), que acompanhando o ministério de Simeon de ensinar e de dar exemplo, devotou-se à causa abolicionista em todo o império britânico.
O entusiasmo e o zelo de Simeon trouxeram-lhe muitas zombarias as quais suportou sem reclamações.
Embora tenha permanecido no mesmo lugar, a sua influência se estendeu através do mundo Anglicano.
Por James Kiefer, livre tradução do revdo. Josafá em nov2006, revisão do Revdo. Stephen J. Taylor, nov 2006.

————00000—————–

2) Charles Simeon 12 de novembro
Cambridge, Sacerdote
A piedade evangélica na Inglaterra manifestou-se em duas correntes principais: os metodistas e os evangélicos. Este último continua comprometido com a Igreja da Inglaterra, o Livro de Oração Comum e de governo episcopal da igreja. Charles Simeon tornou-se o líder evangélico de seu tempo. Apesar de todo o seu ministério ter sido passado em Cambridge, sua influência era mundial. Nasceu em Reading em 1759 e estudou em Eton e Cambridge. Ele se tornou membro do Colégio do Rei, Cambridge, em 1782, e foi ordenado sacerdote em 1783. Ele foi nomeado vigário da Santíssima Trindade no mesmo ano e permaneceu um companheiro de Rei e vigário da Santíssima Trindade até sua morte em 1836.
Já havia alguma influência evangélica no passado familiar de Simeão. Em Eton ele era atlético, mas tornou-se o alvo de alguns ragging para uma exibição de seriedade religiosa incomum na escola. Quando ele foi para Cambridge, ele entrou em uma cidade e faculdade onde a vida religiosa estava em um baixo refluxo, e os renascimentos metodistas não estavam presentes. Em 1779, enquanto se dedicava a uma preparação profunda para a recepção da santa comunhão, exigida como condição para sua entrada em sua faculdade, tomou consciência do amor redentor de Deus. Isso mudou todo o conteúdo de sua vida.
Em 1783, Simeão tinha encontrado alguns companheiros evangélicos e estabelecido uma reputação como um pregador. Através da influência da família ele foi nomeado para Holy Trinity Church, Cambridge. Ele não era a escolha dos paroquianos, o mais beligerante deles passou a maior parte dos próximos dez anos colocando obstáculos em seu caminho e chutando-o na rua.Pela paciente perseverança e compromisso pessoal com Cristo, juntamente com a sua pregação reveladora, a hostilidade e o preconceito foram superados. Ele rapidamente adquiriu grande influência sobre os alunos de graduação, e eles vieram em grande número para ouvi-lo pregar.
O que ouviram foi uma vigorosa mas graciosa proclamação do evangelho em seu estilo evangélico com ênfase na exposição bíblica focalizada na pessoa de Jesus Cristo. O próprio Simeão descreveu seu objetivo como “humilhar o pecador, exaltar o Salvador, promover a santidade”. Foi uma nova ênfase na pregação e despertou considerável oposição em alguns círculos. Simeão persistiu, e por sua sincera sinceridade e caridade calorosa ele ganhou respeito e aceitação. Lorde Macaulay, escrevendo sobre ele nos anos seguintes, disse:
Se você soubesse qual era sua autoridade e influência, e como eles se estenderam de Cambridge para os cantos mais remotos da Inglaterra, você admitiria que sua influência real na Igreja era muito maior do que a de qualquer primata.
A influência de Simeão se espalhou mais longe e ele rapidamente se tornou o líder dos clérigos evangélicos. Ele montou o Simeon Trust para exercer algum controle sobre as nomeações para algumas paróquias. Muitos de seus alunos foram influenciados por seu exemplo para se entregarem ao serviço no exterior, sendo Henry Martyn um deles (ver 20 de outubro). Ele foi um dos fundadores da Sociedade Missionária da Igreja e um fervoroso defensor da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira. Ele deu aconselhamento considerável à Companhia das Índias Orientais sobre a adequação da oferta do clero para o trabalho de capelania. Ele escreveu um comentário sobre a Bíblia, Horae Homileticae, publicado em 1819-20. Este era seu maior trabalho, embora escrevesse muito mais, e seus sermões foram publicados em vinte e um volumes.
No entanto, é como um homem de oração e um pastor que ele é melhor lembrado, porque seu exemplo inspirou muitos a ganhar outros para Cristo. Junto com seus amigos, Simeão fez muito para mudar o ethos da Igreja da Inglaterra no início do século XIX, trazendo um novo zelo na devoção, um amor profundo dos outros e um padrão melhorado de deveres clericais.
Para uso litúrgico
Charles Simeon nasceu em Reading em 1759 e foi educado em Eton e Cambridge. Depois de uma experiência de conversão em 1779, ele se tornou o líder evangélico de seu tempo. Superando a hostilidade inicial, tornou-se um pregador muito influente na Santíssima Trindade, Cambridge, onde foi vigário de 1783 até sua morte em 1836. Sua pregação, escrita e zelo pastoral fez com que muitos ganhassem outros por Cristo. Foi fundador da Sociedade Missionária da Igreja e conselheiro freqüente de capelanias para os crescentes interesses estrangeiros britânicos, especialmente na Índia.
http://www.anglican.org.nz/content/download/527/4065/file/1211.rtf


——————–000000———————-
3) Aprendendo do Exemplo de Charles Simeon
Silvio Dutra
Nos seus primeiros anos de ministério, o pastor da Igreja Anglicana, Charles Simeon (24 de setembro de 1759 – 13 de novembro de 1836) era um homem rude e agressivo. Certo dia, foi visitar um pastor amigo numa povoação próxima da sua casa. Após a visita, as filhas do amigo queixaram-se ao pai sobre o comportamento de Simeon. O pai, então levou as suas filhas para o quintal, e disse-lhes: “Apanhai um daqueles pêssegos para mim.” Era o início do verão e os pêssegos estavam verdes. As meninas perguntaram-lhe por que é ele queria fruta verde, que ainda não estava madura. Ele respondeu-lhes: “Bem, minhas queridas, agora ele está verde e nós precisamos esperar; um pouco mais de Sol, um pouco mais de chuva e o pêssego estará maduro e doce. É assim com o Senhor Simeon.”

Charles Simeon no tempo devido realmente mudou. O calor do amor de Deus, as “chuvas” dos mal-entendidos e as decepções foram os meios pelos quais ele se tornou num homem gentil e humilde.

Charles Simeon foi pastor da Igreja Anglicana, na Trinity Church, em Cambridge, na Inglaterra de 1782 a 1836. Ele foi nomeado para lá por um dos bispos da Igreja Anglicana, contra a vontade dos seus paroquianos, que se opuseram a ele, não por que ele fosse mau pregador ou exercesse mal o seu “húmus partoral”, mas porque Charles Simeon era “evangélico.” Isto é, Charles Simeon cria na Bíblia como a Palavra de Deus e regra de fé, desafiava as pessoas para a necessidade da conversão ao Novo Nascimento espiritual, e aos crentes nascidos de novo desafiava-os para a santidade pessoal e apelava às “Igrejas” e aos crentes individualmente para o desafio da evangelização do mundo e a terem amor pelas almas dos não convertidos ao SENHOR Jesus.

Durante 12 anos os seus paroquianos não permitiram que ele pregasse o sermão de domingo, à tarde. E, durante todo esse tempo, também eles boicotaram o culto dominical matinal e bloquearam os bancos da Igreja para que ninguém pudesse se sentar neles. Deste modo Charles Simeon viu-se obrigado a pregar ao seu rebanho durante 12 anos nos corredores do templo!

«Nesse estado das coisas, eu não vi outro remédio, a não ser ter fé e paciência. O trecho das Escrituras que dominava e controlava a minha mente era este: “Ao servo do Senhor não convém contender.” (2 Tim 2:24) Era doloroso ver o templo da igreja, com exceção dos corredores, quase abandonado; porém, eu pensava que se apenas Deus concedesse uma bênção dobrada à Congregação que ali estava, no todo haveria tanto bem como se a congregação fosse o dobro e a bênção limitada apenas à metade dessa porção. Isso confortou-me muitas e muitas vezes, quando, sem essa reflexão eu teria sucumbido sob o meu pesado fardo.»

De onde obteve Charles Simeon a garantia, de que seguindo o caminho da paciência ele o conduziria à bênção sobre o seu trabalho, que compensaria a frustração de ter todos os bancos da “Igreja” bloqueados? Ele a obteve de versículos da Bíblia que prometiam a graça futura, do versículo da Palavra de Deus: “Como são felizes todos os que nEle esperam!” (Isa 30:18). A Palavra de Deus venceu a incredulidade e a fé na Graça futura venceu a impaciência.

Cinquenta e quatro anos depois destes tristes acontecimentos, Charles Simeon estava às Portas da Eternidade. As semanas se arrastavam, como tem ocorrido com muitos santos moribundos. Aprendemos, ao lado de muitos crentes às portas da morte, que a batalha contra a impaciência pode ser muito intensa no leito de morte.

Em 21 de outubro de 1836, os crentes e familiares que estavam ao lado da sua cama, ouviram-no dizer as seguintes palavras, muito lentamente e com longas pausas:

“A infinita sabedoria dispôs tudo com infinito amor; e o infinito poder capacita-me a descansar nesse amor. Estou nas mãos do Pai amado, tudo está seguro. Quando olho para Ele, não vejo nada a não ser fidelidade, e imutabilidade, e verdade; e tenho a paz mais doce, não posso ter mais paz do que a que tenho!»

A razão para Simeon morrer assim foi a disciplina que exerceu durante 54 anos indo amiúde às Escrituras e nelas se apropriando das promessas da graça futura e de usá-las para vencer a incredulidade da impaciência.

Ele aprendeu a usar a espada do Espírito para batalhar o combate da fé na graça futura. Pela fé, na graça futura, aprendeu a esperar com Deus no lugar não planeado da obediência, e a andar com Deus no passo não planeado da obediência. Com o salmista, Charles Simeon disse: “Espero no Senhor com todo o meu ser, e na sua palavra ponho a minha esperança.” (Slm 130:5)

Tanto na vida como na morte, Charles Simeon tornou clara e com impacto a promessa: “O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam.” (Lam 3:25)

Qual o segredo espiritual de Charles Simeon, que suportou imensas dificuldades no seu poderoso pastorado de cinquenta e quatro anos, na “Trinity Church”, em Cambridge, na Inglaterra?

A profunda influência espiritual para o bem dos pecadores e para a glória de Deus procede de homens e mulheres que se dedicam à oração e à meditação.

R. Housman, um dos amigos de Charles Simeon, que viveu com ele na mesma casa durante alguns meses diz alguma coisa sobre a sua devoção, sobre o seu grande fervor de piedade, sobre o seu grande zelo e amor.

“Invariavelmente, Charles Simeon levantava-se cada manhã, mesmo no Inverno, às quatro horas da madrugada. E depois de acender o fogo, dedicava as primeiras quatro horas do dia à oração particular e ao estudo devocional das Escrituras.”

Este era o segredo da sua grande graça e do seu vigor espiritual. Ao receber instrução dessa fonte e ao procurá-la com diligência, Charles Simeon era confortado em todas as suas provações e obtinha preparação para todos os seus deveres.

Isto é verdade tanto para os crentes individualmente como para as “Igrejas”. Sem oração persistente não temos qualquer ofensiva na batalha contra o mal. Tanto individualmente e como “Igrejas” estamos destinados a invadir e a despojar as fortalezas de Satanás.

Que o exemplo de Charles Simeon nos impulsione tanto individualmente como “Igrejas” não somente às orações ocasionais, mas a uma vida de oração, como disse Housman, com “consistência e à realidade da devoção.”

Biografia de Silvio Dutra:
Servo de Deus, que tendo sido curado, pela graça de Jesus, de um infarto do miocárdio e de um câncer intestinal, tem se dedicado também a divulgar todo o material que produziu ao longo dos 35 anos do seu ministério, que sempre realizou para a exclusiva glória de Deus, sem qualquer interesse comercial ou financeiro. Aprisionado a Uma Visão Há alguns anos atrás, falou-me o Senhor numa visão que eu fosse ter com os puritanos e com Martyn LLoyd Jones. Exatamente com estas palavras. Por incrível que possa parecer, até então, nunca havia ouvido falar sobre os puritanos e LLoyd Jones. Todavia, de lá para cá, há mais de uma década, não fiz outra coisa tão dedicadamente em toda a minha vida, do que estudar as suas obras, e foi nelas que muito aprendi a ter a consistência bíblica doutrinária que adquiri, e que exponho em meus textos. Mais tarde, fui impelido pelo Senhor a divulgar todo o material que havia produzido como fruto do referido estudo. As obras dos puritanos são muito densas e extensas, e tive que condensá-las e adaptar parte do seu conteúdo para uma forma de linguagem mais atual, tendo no entanto o cuidado, de não prejudicar o teor da mensagem. Você pode ler e ouvir estas mensagens nos meus seguintes blogs e site: http://aguardandovj.blogspot.com.br/ Mensagens Sobre o Tempo do Fim e a Volta de Jesus http://www.verdadeevida.org/ Site com centenas de textos, áudios e vídeos sobre o evangelho verdadeiro (com material dos pastores Charles Haddon Spurgeon, John Woen, John Wesley, John Macarthur, John Piper, Paul Washer, Lloyd Jones, John Wesley, Silvio Dutra, entre outros) http://livrosbiblia.blogspot.com.br/ Comentário dos livros do Velho Testamento http://livrono.blogspot.com.br/ Comentário dos livros do Novo Testamento http://retornoevangelho.blogspot.com.br/ Mensagens em textos e vídeos relativos ao Evangelho Verdadeiro. http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/ Poesias sobre o Evangelho Verdadeiro Com Quem Estou Compromissado Quanto aos textos que tenho postado, que são em grande parte relativos a temas religiosos, estou compromissado: – Primeiro, com Deus Pai, com Jesus Cristo e com o Espírito Santo. – Depois com a exposição e interpretação exatas da Palavra de Deus, conforme se encontra na Bíblia. – Com meus amados leitores que têm sido tão gentis e pacientes comigo. – Finalmente, com minha própria consciência, quanto ao dever de ser honesto e verdadeiro em tudo que tenho escrito. Não estou compromissado e nem vinculado a qualquer instituição ou denominação religiosa, de modo que tudo quanto escrevo nunca tem o propósito de defender ou atacar qualquer pessoa ou instituição, mormente quanto às convicções e crenças que elas postulam, senão somente de expor o conteúdo bíblico em toda a sua extensão e profundidade.
http://www.escrita.com.br/escrita/leitura.asp?Texto_ID=23559

14 de novembro – Samuel Seabury

nov 20 2009

samuelseabury 14 de novembro – Sagração de Samuel Seabury, 1º Bispo dos Estados Unidos

Há mais de duzentos anos atrás, os estudantes nas universidades inglesas foram instados a freqüentar regularmente a igreja, e receber pelo menos a Santa Comunhão uma vez ao ano. Esta exigência ao longo do tempo ensejou maus efeitos pois incentivou a hipocrisia e pouca reverência ao Sacramento. Entretanto, para o então estudante de Cambridge Charles Simeon, tal medida surtiu um efeito tão bom que escreveu: “Em 29 janeiro 1779 eu vim à faculdade. Em 2 fevereiro compreendendo que deveria realmente receber a Ceia do Senhor, conscientizei-me  de que fosse de boa mente, com arrependimento e voltando-me inteiramente para Deus e não apenas para cumprir uma determinação do Provost. ” Por esta experiência sua vida foi transformada. Ao terminar os estudos foi ordenado e  nomeado capelão do Colégio da Trindade, Cambridge, onde permaneceu por 55 anos, até logo antes de sua morte em 12 de novembro 1836. Seu ministério ajudou transformar as vidas de muitas pessoas, das quais destacamos:
Henry Martyn (ver 19 outubro) que inspirado por Simeon, abandonou sua de vida secular, dedicando-a a pregar o Evangelho na Índia e na Pérsia;  e William Wilberforce (20 julho), que acompanhando o ministério de Simeon de ensinar e de dar exemplo, devotou-se à causa abolicionista em todo o império britânico.
O entusiasmo e o zelo de Simeon trouxeram-lhe muitas zombarias as quais suportou sem reclamações.
Embora tenha permanecido no mesmo lugar, a sua influência se estendeu através do mundo Anglicano.


Por James Kiefer, livre tradução do revdo. Josafá em nov2006, revisão do Revdo. Stephen J. Taylor, nov 2006.

18 de novembro – Hilda, Abadessa de Whitby – 680

nov 18 2009

santahilda18 de novembro – Santa Hilda – 614-690

Hilda” quer dizer “aquela que luta, que combate”. Natural da Nortúbia, S. Hilda era sobrinha-neta do rei Eduíno e foi batizada por S. Paulino de York em 627, quando tinha 13 anos. Aos 30 anos de idade optou pela vida religiosa, entregando-se à oração e à penitencia. Nomeada abadessa, dirigiu um convento em Hartlepool. Construiu então em Whitby um mosteiro misto, para acolher homens e mulheres, que governou por 30 anos. Tornou-se a conselheira de reis, de príncipes e de todos os que a procuravam para dela receber orientações. Os que a conheciam chamavam-na de mãe, depois grandes eram as suas virtudes e santidade. Morreu após uma enfermidade que se arrastou por seus anos, aos 76 anos de idade.


30 de novembro – SANTO ANDRÉ, APÓSTOLO.

nov 04 2009

andreSanto André, Apóstolo.

Nasceu na Betsaida e teve a honra e o privilégio de ter sido o primeiro discípulo de Jesus, junto com São João o evangelista. Os dois eram discípulos de João Batista, e este ao ver passar Jesus (quando voltava o deserto depois do jejum e das tentações) exclamou: “Eis aí o cordeiro de Deus”. André se emocionou ao ouvir semelhante elogio e foi atrás de Jesus, Jesus se voltou e lhes disse: “O que procuram?”. Eles lhe disseram: “Senhor: onde vive?”. Jesus lhes respondeu: “Venha e verão”. Foram e passaram com Ele aquela tarde.
Esse chamado mudou sua vida para sempre. Santo André foi em seguida onde vivia seu irmão Simão e lhe disse: “encontramos o Salvador do mundo” e o levou onde estava Jesus que encontrou no grande São Pedro um amigo intimo e o fundador de sua Igreja. O dia do milagre da multiplicação dos pães foi Santo André quem levou a Jesus o moço que tinha os cinco pães. O santo presenciou a maioria dos milagres que fez Jesus e escutou, um por um, seus maravilhosos sermões, vivendo junto a ele por três anos.
No dia de Pentecostes, Santo André recebeu junto com a Virgem Maria e outros Apóstolos, o Espírito Santo em forma de línguas de fogo, e em adiante se dedicou a pregar o evangelho com grande valentia e obrando milagres e prodígios.
A tradição coloca seu martírio em 30 de novembro do ano 63, sob o império de Nero.

 


http://www.acidigital.com/santos/