Sobre Todos os Santos e Finados

1 – SOBRE O DIA DE FINADOS

DIA DE TODOS OS SANTOS E DIA DE FINADOS
REV.DIÁC.GECIONNY PINTO,TSSF*


Como cristãos todos são chamados a Santidade (Mateus 5,48) e a Igreja Cristã desde os primórdios do Cristianismo venerou os santos(as) e mártires como testemunhas de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Como vemos em São João Damasceno(675- 749 d.C.):
«Antes de tudo (veneramos) aqueles entre quem Deus descansou, Ele, único santo que mora entre os santos (cf. Is 57, 15), como a santa Mãe de Deus e todos os santos. Estes são aqueles que, enquanto possível, tornaram-se semelhantes a Deus com sua vontade e pela inabitação e a ajuda de Deus; são chamados realmente de deuses (cf. Sal 82, 6), não por natureza, mas por contingência, assim como o ferro incandescente é chamado de fogo, não por natureza, mas por contingência e por participação do fogo. Diz, de fato: ‘Sereis santos porque eu sou santo’ (Lv 19, 2)» (III, 33, col. 1352 A).
 Em São Jerônimo(340-420 d.C.),doutor da Igreja:
“ Se os Apóstolos e mártires,enquanto estavam em sua carne mortal,e ainda necessitavam cuidar de si,ainda podiam orar pelos outros,muito mais agora que já receberam a coroa de suas vitórias e triunfos”(Adv.Vigil.6)
 Santo Hilário de Poitirs(310-367 d.C.),bispo e doutor da Igreja:
“Aos que fizeram tudo o que tiverem ao seu alcance para permanecer fiéis,não lhes faltará,nem a guarda dos anjos nem a proteção dos santos”
    (Escola da Fé I,Sagrada Tradição,p.124)

Sabemos que a Reforma Protestante em seu zelo doutrinário acabou repudiar toda e qualquer manifestação de veneração aos santos, restringindo-se no máximo a lembrar os exemplos e ensinamentos dos mesmos.
O dia de Todos os Santos, ou seja, de todos os salvos por Jesus Cristo em todos os tempos e lugares: a universal assembleia dos remidos. Dia da Igreja, como Corpo místico de Cristo. Algo muito maior do que os nossos clubes religiosos de hoje. Igreja militante de todos os cristãos do presente e Igreja triunfante dos mártires, dos heróis da fé que já estão em estado beatífico no paraíso.
O Livro de Oração Comum (LOC) da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil aponta para a observância dos dias santos nas páginas 14 e 15. E apresenta um calendário cristão com santos e santas da tradição católica e protestante nas páginas 16 a 19. Na sentencia introdutória da festa de Todos os Santos ou comemoração de um santo é citado Hebreus 12,1-2 apresentado os mesmos como testemunhas de Jesus Cristo.Todas as orações matutinas ou vespertinas é feita a oração de São João Crisóstomo(LOC,p.41).
Na Santa Eucaristia de Rito I faz-se menção a multidão celestial que louvam aquele que é totalmente santo(LOC,p.62).Já na Santa Eucaristia de Rito II é lembrado de forma especial na página 77 o santo(a) do dia.A mesma fé podemos ver nas Orações Eucarísticas Alternativas(p.81 – 91).
O LOC apresenta coletas específicas para os dias santos para os santos principais,ou seja,aqueles que foram do período do Novo Testamento(p.136 – 145). 
A Igreja Católica, a Igreja Ortodoxa, parte da Igreja Anglicana e a Igreja Assíria do Oriente apontam para essa doutrina, em apoio de sua prática de se pedir a intercessão dos santos no céu, cujas orações (Apocalipse 5,8) ajudam os seus companheiros cristãos na Terra.
No Credo Apostólico professamos a fé na Comunhão dos Santos (em latim, Communio Sanctorum) é a união espiritual de todos os cristãos vivos e mortos, aqueles na terra, no céu. A crença em um elo místico que unia tanto os cristãos vivos e os mortos em esperança e amor é confirmada já no século IV pela São Nicetas de Remesiana (335-414);
A doutrina da Comunhão dos Santos é baseada em 1 Coríntios 12, onde o Apóstolo São Paulo compara os cristãos e a Igreja a um único organismo. “Santos” refere-se aos cristãos como indivíduos, independentemente da sua santidade pessoal, sendo assim chamados, porque eles são consagrados a Deus e à Cristo. O uso da palavra “santo” encontra-se cerca de cinquenta vezes no Novo Testamento. A alegação de que todos os cristãos estão em comunhão com Cristo, e são beneficiários de todos os seus dons é citado em Romanos 8:32, 1 Coríntios 6:17 e 1 João 1:3.
Em relação aos fiéis falecidos.desde o século II, alguns cristãos rezavam pelos falecidos, visitando os túmulos dos mártires para rezar pelos que morreram. No século V, a Igreja dedicava um dia do ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém lembrava. Também o abade de Cluny, santo Odilon, em 998 pedia aos monges que orassem pelos mortos. Desde o século XI os Papas Silvestre II (1009), João XVII (1009) e Leão IX (1015) obrigam a comunidade a dedicar um dia aos mortos. No século XIII esse dia anual passa a ser comemorado em 2 de novembro, porque 1 de novembro é a Festa de Todos os Santos. A doutrina católica evoca algumas passagens bíblicas para fundamentar sua posição (cf. Tobias 12,12; Jó 1,18-20; Mt 12,32 e II Macabeus 12,43-46), e se apóia em uma prática de quase dois mil anos.
O Didaqué,o primeiro catecismo dos cristãos exortava:

“Ao fazerdes as vossas comemorações,reuni-vos,lde as Sagradas Escrituras…tanto em vossas assembléias quanto em cemitérios.O pão duro que o pão tiver purificado e que a invocação tiver santificado,oferecei-o pelos mortos”. (Escola da Fé I, Sagrada Tradição,p.114)

Tertuliano(+ 220),bispo de Cartago :

“Durante a morte e o sepultamento de um fiel,este fora beneficiado com a oração do sacerdote da Igreja”.(De anima 51;PR)

 Contudo o LOC,apresenta orações específicas para os falecidos na Santa Eucaristia Rito II (p.77) e na Oração Eucarística Alternativa B(p.89) e nas Coletas(p.149).Temos ainda no LOC um Ofício de Sepultura(p.192-203) e um ritual para encomendação do corpo(p.204-205) e de sepultamento propriamente dito(p.206-207).É interessante notar que no LOC p.208 nas chamadas orações adicionais temos uma oração a Deus,Rei dos Santos que será a nossa oração para finalizar esse artigo:

Ó Deus, Rei dos Santos,nós te louvamos e glorificamos teu santo Nome por todos os teus servos que já encerraram sua carreira em tua fé e temor;pela bendita Virgem Maria,pelos santos patriarcas,profetas e apóstolos e mártires;e por todos os demais teus servos justos ,tanto  os conhecidos como os desconhecidos;e te rogamos que nós,estimulados por seus exemplos,ajudados por suas orações e fortalecidos por sua comunhão,sejamos participantes da herança dos santos em luz;pelos merecimentos de Jesus Cristo,teu Filho,nosso Senhor.Amém.

*É Coadjutor da Paróquia Anglicana da Natividade em Natal-RN e membro da Terceira Sociedade de São Francisco.
Contatos: gecionny@yahoo.com.br/gecionnypinto@yahoo.com.br
Site: www.anatividade.com.br